Header Ads

CMCG

Romero quebra o silêncio e diz que oposição na Paraíba errou na estratégia e em marchar dividida nas eleições deste ano




O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), quebrou o silêncio e pela primeira vez de forma pública, falou do resultado das eleições e a derrota da chapa do PV/PSDB, encabeçada por Lucélio Cartaxo (PV) e Micheline Rodrigues (PSDB), no Estado.
Em entrevista a Rádio Correio FM, Romero admitiu que a oposição errou de estratégia na formação da chapa majoritária, e que a divisão do grupo teve consequência no resultado das urnas. O tucano disse que avalia o resultado do pleito com tranquilidade, mas a divisão fragilizou o grupo.
"Avalio com tranquilidade. A oposição errou talvez lá atrás quando se dividiu, e quando se divide se fragiliza. A oposição se estivesse unida passaria mais confiabilidade e força política, o que não aconteceu. Aí o resultado foi esse em que nos deparamos, embora eu possa falar por Campina Grande e agradecer a população pela confiança, que numa onda toda contrária na Paraíba, nós conseguimos ganhar. Se dependesse de Campina, Lucélio seria governador, Cássio e Daniella seriam os senadores. Portanto, agradeço à cidade. A avaliação é essa. Infelizmente houve o erro da divisão, da estratégia, o que nos levou a esse resultado totalmente desfavorável. Agora é reconhecer as falhas e erros, parabenizar a quem ganhou e seguir em frente" disse.
Com relação a diferença de votos na Capital, onde o candidato João Azevêdo (PSB) ganhou com mais de 70 mil votos, Romero declarou lamentar o fato.
"O que eu posso fazer é lamentar pelos números de João Pessoa. Eu disse várias vezes, que se tivéssemos o êxito que imaginávamos em João Pessoa e Campina Grande, estaríamos no segundo turno e seria possível e viável ganhar a eleição. Se não ganhamos em João Pessoa, criou-se um fato desfavorável em relação ao cenário que foi montado. Não ter saído unido com o MDB, que poderia ter marchado conosco, ou também a gente com o MDB, porque a recíproca deve ser verdadeira. As pesquisas, inclusive, era como se Maranhão estivesse na frente de Lucélio, coisa que não aconteceu no dia da eleição, também trazem prejuízo, pois estamos em um país em que muita gente vota em quem acha que vai ganhar" ressaltou.
Antes de decidir pela candidatura de Lucélio Cartaxo, a oposição se viu mergulhada em um dilema. A cabeça da chapa majoritária foi cobiçada pelo prefeito de João Pessoa Lucano Cartaxo (PV), e pelo prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues (PSDB). Por conta das incertezas e da falta de unidade do bloco, os dois gestores abriram mão da candidatura, e resolveram lançar Lucélio Cartaxo candidato ao governo do Estado.

Nenhum comentário