Header Ads

CMCG

Hospital Universitário Alcides Carneiro vai lançar mestrado profissional em 2019


O Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC) está com uma novidade que interessa a profissionais da área de saúde e acadêmicos em geral. Em 2019, vai ser lançado o primeiro mestrado profissional da instituição. O anúncio foi feito pela titular da Gerência de Ensino e Pesquisa​ do hospital, Alana Abrantes, durante a abertura de um curso de metodologia científica.
Vinculado à Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), o HUAC pretende oferecer cursos de pós-graduação seguindo a linha de outras instituições de saúde, como o Hospital Sírio-Libanês e o Hospital Israelita Albert Einstein, ambos em São Paulo.
Segundo Alana Abrantes, a realização do mestrado profissional já foi solicitada à sede da Ebserh, em Brasília. “A proposta foi acatada, autorizada e estamos trabalhando na montagem do projeto. Vamos abrir vagas para toda a rede, mas especialmente para o nosso hospital. Esse curso é um ponto de partida para que criemos aqui o nosso Núcleo de Pós-graduação”, disse.
Também na abertura do curso de metodologia científica, o superintendente do HUAC, Homero Rodrigues, informou aos participantes do evento que a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) tem interesse em fomentar cursos de pós-graduação em hospitais vinculados à Ebserh. “O presidente da Capes, professor Abílio Baeta, esteve conosco em Brasília e disse que a instituição está interessada em ampliar os cursos da Rede Ebserh e tem intenção de financiar esse tipo de parceria”, declarou.
CURSO DE METODOLOGIA
Iniciado no dia 27 de julho, o curso de metodologia científica é uma iniciativa da Gerência de Ensino e Pesquisa do HUAC-UFCG. “Esse curso foi iniciado com base no panorama que encontramos quando assumimos a GEP e identificamos falhas em projetos e dificuldades de alimentar a Plataforma Brasil. Diante disso, resolvemos lançar esse curso de metodologia científica, que vai partir desde o aprendizado de como fazer uma revisão até a formatação de um projeto de pesquisa”, explicou Alana Abrantes.
Entre os quase 60 inscritos no curso, está o estudante de Enfermagem Gabriel de Oliveira Gonçalves, 21 anos, que aprovou a iniciativa. “Acho extremamente importante. A pesquisa precisa estar sempre acontecendo, principalmente no âmbito da saúde”.


OsGuedes

Nenhum comentário