Header Ads

CMCG

Russos aprendem a torcer e ajudam país da Copa a eliminar campeão mundial


O jogo foi chato, deu sono e todo mundo reclamou. Mas virou um drama russo com a disputa nos pênaltis sob chuva e um estádio Luzhniki lotado. A Rússia, o anfitrião patinho feio que não passaria nem da primeira rodada, bateu a Espanha campeã do mundo e levou a sua torcida à loucura.
O estádio em Moscou parecia não acreditar no resultado. Jogadores choram no gramado. Nas arquibancadas cada um reagia de um jeito. Tinha gente parada, incrédula e sem reação. Outros gritavam e dançam. E todos, sem exceção, gritavam “Rússia, Rússia”.
Era, também, hora de balançar as bandeiras e saudar os heróis que voltaram ao centro do gramado para agradecer a torcida e carregar uma bandeira como forma de agradecimento. No centro, os jogadores se reuniam, pulavam e acompanhavam o ritmo das arquibancadas.
Todos celebrando as voltas que o mundo dá em pouco mais de 120 minutos. No início do jogo, a esperança era pequena e quase tudo estava contra a Rússia. Uma campeã do mudo estava do outro lado e, logo no início do jogo, um gol contra de Ignashevich colocava os anfitriões em desvantagem. Parecia o fim. Honroso, mas o fim.

Nenhum comentário