Header Ads

RC fala sobre ida de Cartaxo para o PV e sobre importância de somar forças



O governador Ricardo Coutinho (PSB) cumpriu extensa agenda administrativa em Campina Grande, nesta sexta-feira, mas não deixou a política de lado. O socialista foi indagado pela imprensa local sobre várias nuances, alianças para eleições, sobretudo a aproximação com o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV).

A entrevista foi veiculada na Rádio Campina FM
TROCA NO COMANDO NO PV
Coutinho revelou que foi comunicado da decisão pelo então presidente Sargento Denis, que compunha a base aliada.
“Eu fui comunicado pelo presidente do PV, o ex-presidente Denis. Mas eu não devia nem ser consultado”, asseverou.
PERMANÊNCIA DO PV NA BASE
Quando indagado se o Partido Verde permaneceria na base governista, agora com a mudança no comando, Coutinho desconversou e disse não saber, apesar de torcer.
“Eu não sei. Eu não sei de tanta coisa nessa vida. Eu sei de algumas coisas e de outras não, isso tem que perguntar ao PV, dá um tempo para as coisas. A minha intuição – ás vezes - a minha intuição entra numa pane - igual aquele apagão que teve. Eu não falo pelos outros, eu falo por mim, eu falo pelo partido que eu represento. Se você perceber raramente eu dou uma opinião sobre outro partido, eu tenho meus limites”, disse.
REAPROXIMAÇÃO COM CARTAXO
O governador preferiu evitar especulações, todavia ressaltou que tanto ele quanto o prefeito Cartaxo sabem da importância da união de forças para avançar em torno de projetos e não de interesses pessoais.
“Eu acho que Cartaxo sabe e eu também sei que se você concordar nas diretrizes administrativas, de fazer, de como melhorar o Estado. Eu não quero um Estado pós mandato de Ricardo Coutinho igual ao que eu consegui fazer, mas sim melhor. Eu quero que o processo de mudanças continue. Eu não sou mesquinho. Eu vivo aqui, eu quero ver esse estado avançando, então nesse processo de acúmulo, de avanços, evidentemente que quando você soma forças que queiram, com as suas respectivas diferenciações, queiram lapidar e avançar será sempre benvindo”, disse
E continuou: “Vamos respeitar aquilo que significa um programa de governo, um caminho a ser caminhado. O caminho a ser caminhado você agrega e respeita todos os passageiros, mas é importante que esse ônibus não saia do caminho. Nós mantemos algumas alianças importantes para Paraíba desde muito tempo, onde nos respeitamos, discordamos em alguns pontos. Você tem convergências, e essas convergências são majoritárias. É competência de fazer para onde esse estado deve ir”.

PBAgora

Nenhum comentário