Header Ads

CMCG

Galego do Leite cobra esclarecimentos sobre aumento da arrecadação com multas em Campina Grande



O vereador Galego do Leite (Podemos) está aguardando o início dos trabalhos na Câmara Municipal de Campina Grande para voltar a requerer esclarecimentos da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP) sobre o aumento extremamente elevado na arrecadação com multas na cidade no ano de 2017. De acordo com a imprensa, o montante cresceu mais de 170% em comparação com 2016.

Segundo os números, o Município arrecadou cerca de R$ 3,7 milhões com infrações de trânsito em 2016, enquanto no ano passado esse total ultrapassou a casa dos R$ 10 milhões. Em agosto, quando foi divulgado que a arrecadação nos primeiros seis meses de 2017 já havia ultrapassado todo o volume de 2016, Galego apresentou um requerimento de pedido de informações à STTP, que foi aprovado por unanimidade pela Câmara.

Ainda assim, a autarquia decidiu ignorar a requisição. “Solicitamos informações como, por exemplo, qual o percentual de multas aplicadas por agentes e qual o índice de infrações registradas por meio eletrônico, assim como a respeito da proporção de recursos apresentados junto à chamada Jari que são deferidos. Como se a Câmara de Vereadores não devesse ser respeitada em suas prerrogativas, o superintendente resolveu não responder”, explicou o vereador.

Galego do Leite lamentou a postura da direção da STTP, mas confirmou que adotará as medidas cabíveis para que o pedido de informações seja respondido. “Os dados solicitados são do interesse da cidade, da população, que tem se mostrado perplexa diante dos números que estão vindo a público. Não abriremos mão das nossas prerrogativas e da defesa do interesse dos cidadãos”, assegurou.

O parlamentar ainda lembrou que não defende a impunidade para infratores, mas, na verdade, cobra transparência da STTP, além de entender que a atividade da gestão de trânsito não pode se limitar à aplicação de multas. “Não sou eu, mas a população de Campina que enxerga essa realidade, ou seja, uma autarquia que multiplica a arrecadação com multas enquanto o trânsito fica entregue ao deus-dará”, afirmou.

APLICAÇÃO DOS RECURSOS

Além das informações já anteriormente solicitadas à STTP, Galego do Leite adiantou que também vai requerer detalhes sobre a aplicação dos milhões arrecadados com multas de trânsito. “R$ 10 milhões representam um montante expressivo de dinheiro, ainda mais numa cidade em que as faixas de pedestres se apagam em poucas semanas, em que a sinalização nos bairros é precária e em que o serviço de ordenamento do trânsito praticamente não existe. Qual o destino desses R$ 10 milhões?”, questiona o vereador.

Nenhum comentário