Header Ads

CMCG

Márcio Melo diz que “Ruy Carneiro está fazendo o jogo do Palácio da Redenção”


O vice-presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, vereador Márcio Melo, disse que Ruy Carneiro deveria estar unindo o seu partido, o PSDB, e as Oposições, em torno do nome do prefeito Romero Rodrigues, para disputar o Governo do Estado da Paraíba no próximo ano, “com reais chances de vitória, e não ficar patrocinando aventuras”.

De acordo com Melo, Romero é um político “respeitado e experiente” foi vereador, presidente da Câmara Municipal de Campina Grande por várias vezes, deputado estadual, deputado federal, secretário de Estado, e agora está frente da Prefeitura Municipal campinense, tendo sido reeleito com uma votação bastante significativa, “realizando um excelente trabalho, tem todas as credenciais para retomar o caminho de desenvolvimento do Estado da Paraíba e tem uma folha de serviços prestados à Paraíba e a sua população”.

Em sua opinião, da mesma forma como tem feito o senador Cássio Cunha Lima, Carneiro deveria valorizar e defender o nome de Romero Rodrigues, unindo as Oposições em torno do seu nome, e contribuindo para a vitória nas urnas nas eleições do próximo ano.

No entendimento do vice-presidente do Poder Legislativo campinense o presidente do PSDB deveria se empenhar para unir as oposições com Romero “e não ficar apenas pensando em seus interesses particulares, junto a outros postulantes. O projeto é esse! E Ruy Carneiro deveria tomar consciência e juntar o partido e as demais legendas que integram o bloco e não fazer e contribuir para o jogo do adversário”.

Márcio ressaltou que, “se for para defender outra candidatura ele deferia migrar de partido. Da forma como Ruy está procedendo, pelo que se denota, ele quer beneficiar a si próprio e ao candidato do Governo do Estado, pois ao invés de unir forças está buscando desagregar e tentando prejudicar a luta e o esforço dos oposicionistas que querem libertar a Paraíba dos governantes atuais de plantão. Ele está fazendo o jogo dos adversários, o que é lamentável”, sentenciou.

Nenhum comentário