Header Ads

Professores da UFCG decidem paralisar no dia 19 de fevereiro, contra a reforma da previdência


Os professores da UFCG paralisarão suas atividades no dia 19 de fevereiro, contra a reforma da previdência do Governo Temer. A decisão foi tomada numa assembleia geral da categoria, realizada simultaneamente nos campi de Campina Grande, Sumé e Cuité. Os professores também participarão de várias atividades de mobilização durante o Carnaval e de um ato público, pela manhã, na Praça da Bandeira, em Campina Grande, a partir das 9h, no dia 19/02.
A deliberação dos professores ocorreu após uma detalhada avaliação da conjuntura política pela diretoria da ADUFCG e por vários participantes da assembleia, quando se concluiu que é fundamental ampliar o esclarecimento e o alerta a categoria para os prejuízos que a reforma trará os trabalhadores da iniciativa privada e os servidores públicos, além de colaborar com a construção de uma nova greve geral para impedir a reforma da previdência e a revogação da reforma trabalhista e da lei das terceirizações.
A decisão de paralisação também segue uma deliberação, por consenso, do Fórum das Entidades Nacionais de Servidores Públicos Federais (Fonasefe) e do Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate) tomada, em Brasília (DF), no sábado e domingo (3 e 4). Além de barrar a contrarreforma da previdência, o fórum deliberou contra o desmonte dos órgãos públicos, pela revogação da Emenda Constitucional (EC) 95 e pela revogação da Reforma Trabalhista. As maiores centrais sindicais do país também deliberaram por paralisações e mobilizações no dia 19/02
Os professores da UFCG participarão da preparação de um ato público do Comitê Municipal contra a Reforma da Previdência, para o próximo dia 19 de fevereiro e de várias mobilizações durante o Carnaval. Uma reunião da Comissão de Mobilização da ADUFCG com este objetivo foi convocada para amanhã a tarde, às 17h, na sede do Sindicato.
Sumé
No Campus de Sumé, os professores realizar atividades em conjunto com os movimentos sociais da região, com intervenções nas ruas da cidade e um ato público na feira, no dia 19/02. Também foi deliberado a organização de um comitê local de mobilização, a produção de um panfleto de esclarecimento a população sobre a reforma, a produção de áudios para a veículação em carros de som e de faixas.  Será incorporada ao movimento a luta contra o fechamento das escolas rurais. 
A ADUFCG tem como base de atuação os Campi da UFCG em Cuité, Sumé, Pombal, Sousa e Campina Grande.


Assessoria

Nenhum comentário