Header Ads

Márcio denuncia “onda de terror, insegurança e a omissão de Ricardo Coutinho”


O vice-presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, vereador Márcio Melo Rodrigues (PSDC), afirmou que está preocupado com “o desgoverno de Ricardo Coutinho, principalmente na região de Campina Grande, que coloca a população refém dos bandidos, sem que nenhuma medida séria tenha sido anunciada para combater a onda de violência que tem crescido assustadoramente”.
Ressalta que “a Paraíba está totalmente insegura, com o agravamento da onda de assaltos, de arrombamentos a bancos e caixas eletrônicos, com ações da bandidagem num shopping, os elementos tomando carros no meio da rua e invadindo ônibus, a exemplo do que aconteceu neste sábado quando bandidos adentraram um coletivo de Galante e levaram todos os pertences das pessoas que vinham fazer feira em Campina Grande, atingindo os agricultores que vinham comercializar a sua produção para manter a si e aos seus familiares”.
Ele disse que “o povo está com medo de sair de casa, e se fica em casa tem que se trancar e também é vítima da ação dos bandidos com os arrombamentos e outras ações. O povo está encurralado”. Para Márcio, enquanto “a população cobra por segurança pública, o governador anda cercado de seguranças vivendo em outro mundo com o dinheiro público lhe dando as condições ideais para o seu dia a dia, e a sociedade é refém dos marginais”.
Ressalta que, cada vez mais está preocupado com o problema da violência e da insegurança na Paraíba, particularmente em Campina Grande, com o agravamento da crise na segurança pública, “a falta de ação, de responsabilidade e a inércia do Governo do Estado para com o problema”.
Márcio acentua que “diariamente tem se agravado e repetido os casos de explosões de caixas eletrônicos, aos Correios, de assaltos e de roubos, mesmo com a atuação da Polícia competente que não dispõe dos equipamentos necessários para trabalhar, juntamente com o pouco contingente e a falta de concursos públicos. É um absurdo o que está ocorrendo em Campina Grande e nos demais municípios do Estado”.
Registra que, já perdeu a conta de quantos caixas eletrônicos foram explodidos na Paraíba. Na empresa Alpargatas, no Distrito Industrial, quando segundo a Polícia, bandidos armados chegaram ao local e detonaram três caixas eletrônicos, que ficaram destruídos. Na rua Damasco, no bairro da Liberdade, um posto avançado de atendimento, teve um caixa eletrônico explodido.
Márcio Melo Rodrigues disse que está “sensibilizado com o clamor popular” pedindo providências “às autoridades constituídas para buscar uma solução que amenize a questão da violência, dos assaltos, arrombamentos, explosões, e toda espécie de crimes que vem preocupando a sociedade paraibana, especialmente, o povo campinense. O que queremos é solução e alertar os governantes para atender ao clamor popular e das entidades como a Câmara Municipal, a Associação Comercial, a CDL, os Sindicatos Rurais, dentre outras”.
Ele disse que “critico a omissão do Governo do Estado por não dar as condições aos policiais para enfrentar os bandidos e não expor a vida destes à ação de marginais, afinal de contas esses profissionais são pais, mães, filhos, irmãos e irmãs que se dedicam e não têm o devido equipamento para exercer as suas funções. Critico porque não estão sendo fornecidos armamentos adequados, coletes, realizando concursos públicos para ampliar o contingente, dentre outras medidas imprescindíveis”.
Acentua que o problema tem “tomado essas proporções em razão da falta de responsabilidade para com a segurança da população, que é dever do Estado, mas esse tem sido omisso, com a violência castigando a Paraíba, especialmente Campina Grande, que não merece um tratamento desse porte, sendo desrespeitada”.

Nenhum comentário