Header Ads

Polícia prende grupo suspeito de praticar sequestros relâmpagos na Capital


A Polícia Civil da Paraíba, por meio do Grupo de Operações Especiais (GOE), apresentou à imprensa, na tarde desta segunda-feira (4), o resultado do trabalho de repressão aos crimes patrimoniais realizado com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba, 8ª Promotoria Criminal da Capital e Vara Criminal de Entorpecentes, que resultou na prisão de sete pessoas: Roberto Ferreira da Silva, 42 anos; Josenilson Santos da Silva, 18 anos; Noel Santos de Santana, 23 anos; Carlos Sergio da Silva Costa, 49 anos; Adriano Silva de Andrade, 23 anos; José Wellington Vitalino, 28 anos; e Caique Gabriel Bezerra Martins, 20 anos . O grupo é suspeito de praticar a modalidade de crime conhecida como ‘sequestro relâmpago’ e ainda assaltos a estabelecimentos comerciais.

Os mandados de prisão foram cumpridos no início da manhã desta segunda-feira (4). Seis suspeitos foram presos durante buscas no Bairro São José, na zona leste de João Pessoa, e um na cidade de Conde. As investigações mostram que o grupo é responsável por praticar pelo menos quatro sequestros relâmpagos em João Pessoa, entre eles o de uma advogada, na noite do dia 29 de novembro. Ela foi abordada pelos criminosos quando saía com a filha, um bebê, de um berçário que fica no bairro Bessa. As imagens registradas pelas câmeras de segurança instaladas na região mostram o momento em que os criminosos chegam a pé e armados. Eles caminham normalmente e interceptam o carro da advogada quando ela faz uma manobra. A dupla entra no veículo e segue com as vítimas. Mãe e filha ficaram sob domínio dos sequestradores por cerca de 40 minutos e  foram liberadas com o carro nas imediações da BR-230 em Cabedelo.

Poucos minutos depois, também no bairro do Bessa, um homem foi vítima de dois sequestradores no momento em que chegava em casa. A polícia suspeita que os criminosos são os mesmos que sequestraram a advogada. Ele foi colocado dentro do porta-malas do carro e, por cerca de uma hora e meia, seguiu com a dupla até ser abandonado com o veículo no bairro de Manaíra. A vítima registrou a ocorrência no Distrito Integrado de Segurança Pública (Disp) de Manaíra. Em depoimento à polícia, ele contou que acredita que os criminosos usaram seu carro para praticar assaltos, porque ouviu muitas pessoas entrando e saindo do veículo no período em que ficou preso no porta malas.

As investigações do GOE mostram que o grupo criminoso estava agindo há alguns meses em João Pessoa praticando diversas ações entre elas seqüestros relâmpagos. A maioria desses crimes era realizado no Bairro do Bessa. Os suspeitos agiam sempre da mesma forma, abordavam as vítimas quando elas estavam entrando no carro ou quando estavam estacionando os veículos. Para não levantar suspeita, eles trancavam as vítimas dos sequestros relâmpagos no porta malas enquanto usavam o veículo delas para praticar outros crimes. Os principais alvos da organização criminosa eram mulheres.

Durante os levantamentos, os policiais civis do GOE também descobriram que os suspeitos estavam programando um assalto a um estabelecimento comercial no Bairro da Torre que seria realizado nesta segunda feira. Com os sete presos foram apreendidos três revólveres, uma pistola, uma espingarda calibre 12, munições e um veiculo KA. “Nós estávamos monitorando os sequestros relâmpagos registrados aqui na Capital , quando chegamos até estes suspeitos. Este grupo ainda tem mais integrantes que pelas nossas investigações seriam os chefes da organização criminosa. Eles já foram identificados e vamos continuar as buscas para prendê-los”, disse o delegado do GOE, Allan Terruel.

Os suspeitos foram ouvidos e autuados por roubo qualificado e organização criminosa. Os sete presos vão aguardar na carceragem pela audiência de custódia.

Nenhum comentário