Header Ads

Câmara Municipal de Campina Grande homenageará o poeta Aziel Lima, idealizador das Bibliotecas Comunitárias das Malvinas


Atendendo a uma propositura do vereador João Dantas (PSD), a Câmara Municipal de Campina Grande realizará na próxima segunda-feira (27), às 19hs, uma sessão solene para entrega do Título de Cidadão Campinense ao Poeta Aziel Lima, presidente da ASSORAC e idealizador da Biblioteca Comunitária do bairro das Malvinas.

Escleide Gomes de Lima, conhecido por todos como poeta Aziel Lima é um sertanejo nascido em Conceição de Piancó, no sertão da Paraíba. Filho de agricultores, mudou-se para Campina Grande aos nove anos de idade após a morte do seu pai.

Aziel Lima é professor, poeta popular, ativista cultural e conselheiro tutelar na Zona Oeste de Campina Grande. Idealizador de vários projetos educativos e culturais, os quais podemos destacar: Cordel na Escola; Crack, a droga da morte; Projeto Jovem Repórter; e o mais importante; a implantação e manutenção de quatro bibliotecas comunitárias com um acervo de mais de 20 mil livros.

Aziel conta que como poeta e cordelista, sentia muita dificuldade de expor seu trabalho. Não havia interesse dos jovens, nem espaços propícios para difusão desta arte. Inquieto, Aziel não se acomodou e criou o projeto Cordel na Escola, passando a visitar algumas instituições de ensino para levar seus versos, sua poesia e alguns cordéis ao conhecimento dos alunos, tentando despertar o interesse das crianças por esta tradição secular. Ao visitar as escolas, Aziel percebeu a falta de interesse e até mesmo a falta de incentivo à prática da leitura. Algumas escolas até tinham bibliotecas, porém, os professores não incentivavam a pesquisa além dos livros didáticos em sala de aula. Outro fator que atrapalhava o interesse pela leitura, é que o aluno que estuda pela manhã não tinha acesso à escola no turno da tarde e vice-versa, a não ser por uma ordem expressa de um professor. Como ele iria utilizar a biblioteca fora do horário da aula?

Durante todo o projeto “Cordel na Escola”, Aziel pensava em alternativas pra resolver esse problema. “O município tem a sua biblioteca municipal, porém é localizada no Centro da cidade, ficando longe de bairros como as Malvinas, por exemplo. Além do tempo gasto pra se locomover até lá, muitas pessoas não tinham sequer o dinheiro da passagem”. Explica.
Aziel começou a pesquisar e viu que existia esse modelo de biblioteca comunitária em outras cidades do país. Ele entrou em contato com algumas dessas bibliotecas, pegou algumas orientações, e em 2010 iniciou a campanha de arrecadação de livros pelo twitter. Suas postagens nas redes sociais obtiveram uma boa repercussão na imprensa local, inclusive, com reportagens na TV. Logo na primeira semana ele já possuía mais de 10 mil livros.

Com o intuito de agregar todos estes projetos e formalizá-los do ponto de vista legal, Aziel e seus voluntários criaram a Associação Raízes da Cultura — ASSORAC que tem por objetivo transformar a vida das crianças e jovens da comunidade, levando mais conhecimento, experiências e os ensinando a valorizar os aspectos culturais, sociais e humanos na sociedade.

O projeto cresceu, hoje a ASSORAC possui 4 bibliotecas, duas no bairro das Malvinas, uma no Mutirão e outra no bairro Três Irmãs, com um acervo total de mais de 20 mil livros, desde o Vade Mecum até livros religiosos, passando por literatura popular, romances, best sellers nacionais e internacionais, enciclopédias, etc.

Hoje a biblioteca comunitária possui parceria com as universidades e recebe alunos intercambistas de diversas partes do mundo que vêm compartilhar seu conhecimento com os jovens frequentadores do espaço. Já estiveram ministrando oficinas alunos intercambistas vindos de Portugal, Alemanha, Chile e Bolívia. “Nós estamos oferecendo uma riqueza de cultura conhecimento sem tamanho”, relata Aziel entusiasmado.

Em parceria com uma instituição de intercâmbios, a Biblioteca Comunitária recebeu alunos de várias partes do mundo.

Para o vereador João Dantas, esta é uma das mais justas homenagens que a Câmara Municipal presta. “Nosso projeto tem como principal objetivo, trazer um bom exemplo de cidadania e trabalho social desenvolvido em Campina Grande. Partindo do pressuposto de que não existe trabalho social mais importante para a formação do cidadão, do que o incentivo à leitura, o fomento da cultura e a prática de atividades educacionais”. Justificou Dantas.

Nenhum comentário