Header Ads


BALDE DE ÁGUA FRIA: decisão do PT Nacional pode melar apoio da legenda a Daniella Ribeiro em CG



Por esta os membros do PT de Campina Grande que decidiram pela aliança com o Partido Progressista (PP) não esperavam. A Direção Nacional do PT editou uma resolução na qual determina que alianças em cidades com mais de 200 mil eleitores só poderão ser firmadas com a homologação da Nacional. A matéria está publicada na Folha de São Paulo da última quinta-feira.

Segundo a reportagem da Folha, “a Executiva Nacional do PT editou nesta quinta-feira uma resolução que exige que as alianças em cidades com mais de 200 mil eleitores sejam homologadas por ela antes do registro. O texto deve ser aprovado em reunião do Diretório Nacional no dia 18, em Porto Alegre”.

Com isso a decisão sobre a aliança entre PT e PP em Campina Grande, que se enquadra na resolução por ter mais de 200 mil eleitores, só será decidida na próxima sexta-feira, dia 18, no encontro do partido em Porto Alegre. A reportagem diz que o anúncio foi feito pelo presidente nacional do PT, Rui Falcão, após reunião da Executiva em São Paulo.


 Ameaça de Intervenção


“Temos uma disposição aprovada hoje que diz que, nas cidades com mais de 200 mil (eleitores), as chapas deverão ser antes dos registros homologados pela Executiva Nacional, justamente para não ter que provocar intervenção”, afirmou Rui Falcão.


A resolução acaba colocando uma ducha de água fria sobre os membros do PT campinense que decidiram romper a aliança com o PMDB, que vinha desde 2004, e se coligar ao PP, nas eleições deste ano, indicando o candidato a vice na chapa encabeçada pela Deputada Estadual Daniela Ribeiro, em troca do apoio ao PT em João Pessoa, onde os pepistas indicariam o vice do propenso candidato Luciano Cartaxo.


Na época, o presidente do PT de Campina Grande, Alexandre Almeida, que vinha sendo o nome do partido para disputar a Prefeitura de Campina Grande até a mudança de rumo dos petistas, declarou que o PT de Campina Grande estava sendo entregue ao PP como “moeda de troca”. Ele recorreu ao Diretório Estadual e ao Diretório Nacional, para reverter a situação.


Em face deste problema de Campina Grande e de outros problemas em outras cidades brasileiras, o PT Nacional decidiu editar a resolução e tomar a decisão sobre as alianças ou candidaturas próprias nestas cidades (com mais de 200 mil eleitores) na próxima sexta-feira (18.05)



Simone Duarte

com Correio Braziliense e Blog de Hermes de Luna

Nenhum comentário