Header Ads

ISEA recebe Conceito “A” do Ministério e fica entre as nove melhores do Norte e NE


O Isea (Instituto de Saúde Elpídio de Almeida) da Prefeitura de Campina Grande recebeu do Ministério da Saúde o conceito “A” e das 26 maternidades das regiões Nordeste e Amazônia Legal (Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins e parte do estado do Maranhão) avaliadas, ficou entre as nove melhores.

A conquista foi anunciada pela apoiadora do Ministério da Saúde, Flávia Villa-Chan, que durante um ano, supervisionada por Sônia Lansky, acompanhou o trabalho desenvolvido pela maternidade, assim como as melhorias implantadas no sentido de humanizar o atendimento, dentro do Plano de Qualificação para Redução da Mortalidade Materna e Infantil do qual o Isea faz parte.

Os feitos e efeitos que o Isea conquistou, de acordo com a própria Flávia, foram apresentados por ela em Brasília, nos dias 1, 2 e 3 deste mês. “Depois de um ano de conversas, reuniões e oficinas, a equipe do Isea está de parabéns pois do plano participam 26 maternidade e na avaliação dos critérios atendidos, o Isea ficou com o conceito A”, disse. Ela ressaltou ainda o apoio da direção para a implantação das mudanças. Outras dez maternidades tiveram conceito B e algumas serão reavaliadas porque sequer permitiram o acesso do apoiador.

AS MUDANÇAS - As melhorias deste ano foram voltadas principalmente para as crianças que nascem na maternidade, a exemplo dos investimentos na ampliação das UTI Neonatal e implantação da Unidade de Cuidados Intermediários (UCI), mas no próximo ano, elas serão destinadas às mães, informou a diretora geral da maternidade, a médica Francimar Ramos. As mudanças já começaram, com as alterações no acolhimento do Isea e a ampliação do horário de visita.    

Na apresentação feita por Flávia, ela descreveu a estrutura do Isea, que possui 66 leitos, sendo 24 de alto risco e 42 de baixo risco, seis leitos na Casa da Mãe Dr. Flaviano Xavier (projeto premiado nacionalmente), sete leitos pré-parto, duas salas de parto, 15 leitos na UCI e 10 na UTI Neonatal, além do serviço de ultrassonografia, que funciona durante o dia, e o laboratório, que funciona 24 horas por dia, e o ambulatório de alto risco, no qual a maternidade é referência para toda a região.

Entre as principais melhorias implantadas pela direção do Isea, a apoiadora do Ministério da Saúde destacou a capacitação de profissionais no Método Canguru, que será implantado em breve na maternidade, ampliação do horário de visita e do laboratório, separação das entradas para emergência e ambulatório, melhoria do acolhimento na emergência obstétrica, com a presença de enfermeiros, implantação do Colegiador Gestor, do Fórum Metropolitano e do Fórum Estadual Perinatal, além de estágios em centros de referência na área de obstetrícia e UTI Neonatal.

HUMAN IZAÇÃO - Ainda dentro do que preconiza o Ministério da Saúde para a humanização do atendimento, no projeto de reforma e ampliação do ISEA, que está em fase de conclusão, a maternidade vai ganhar o Centro de Parto Normal, com seis modernas suítes de PPP (Pré-Parto, Parto e Pós-Parto). Com ele, a sala de pré-parto e a sala de parto serão unificadas, permitindo que a mulher tenha um acompanhante da sua família, escolhido por ela, e com total privacidade.

Assim, vai eliminar a necessidade de transferência da mulher da sala de pré-parto para a sala de parto, melhorando as condições para as gestantes e para os recém-nascidos, que somente depois do parto serão transferidos para as enfermarias. A adoção do conceito PPP permite que o processo fisiológico do parto possa evoluir na mais absoluta normalidade, no mesmo local e cama, num ambiente familiar, longe daquele aspecto de uma sala cirúrgica e sem que a mulher precise ser deslocada para outro ambiente.


Assessoria

Nenhum comentário