Header Ads

Estudantes protestam no Planalto contra aumento salarial de políticos

Cerca de 50 estudantes realizaram um protesto, na tarde desta segunda-feira, sentados em frente ao Palácio do Planalto reivindicando o aumento de mais de 60% nos salários dos parlamentares. O manifesto durou cerca de 20 minutos. Com bandeiras em punho, os estudantes ficaram gritando palavras de ordem contra o aumento, considerado abusivo por eles.

Depois de deixar a rampa do palácio, os estudantes fecharam o trânsito de uma rodovia próxima. Não há informações sobre se o manifesto prosseguirá nas próximas horas.

Salários de R$ 26,7 mil

O Senado aprovou no dia 8 de dezembro a equiparação salarial para parlamentares, ministros de Estado e para o presidente e o vice-presidente da República. Todos passarão a ganhar R$ 26,7 mil a partir de fevereiro de 2011.

A votação simbólica no Senado ocorreu poucas horas depois de a Câmara dos Deputados também ter aprovado a matéria. O dinheiro para cobrir o aumento concedido sairá do orçamento dos respectivos órgãos públicos.

Atualmente, o salário dos parlamentares é de R$ 16,5 mil. Os ministros de Estado recebem R$ 10,7 mil e o presidente da República, R$ 11,4 mil. Na prática, o reajuste para os parlamentares será de 61,8%. Para presidente, de 133,9%, e para ministros vai superar 149%. Os salários não eram aumentados desde 2007.

Ministros do Supremo

O novo salário aprovado é o mesmo pago atualmente para ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). A justificativa para o decreto afirma que a proposta é alcançar "autonomia" entre os poderes.

Contudo, o texto não prevê equiparação em caso de reajustes, ou seja, aumentos no Supremo não se traduzirão em reajustes automáticos nos demais poderes. A equiparação dependerá da aprovação de uma proposta de emenda constitucional, que deverá ser apresentada no Congresso no próximo ano.

Jornal do Brasil

Nenhum comentário